landing pages melhores praticas-para-qualificar-leads

Landing Pages: melhores práticas para qualificar leads

O valor das Landing Pages na geração de leads (potenciais clientes) tornou-se consensual e assume especial relevância no mercado B2B (Business-to-Business).

Mas, afinal, o que é uma Landing Page? Tal como o próprio nome indica, é uma página web em que “aterramos” depois de clicarmos num “Call-to-Action” (CTA) cuja mensagem considerámos interessante. Incluir um formulário na Landing Page é essencial para que os visitantes convertam em leads. E como levar o visitante a converter? Disponibilizando uma “oferta” valiosa, que o faça estar disposto a fornecer os seus dados pessoais para poder usufruí-la – por exemplo:

  • Download de conteúdos educativos (eBooks, relatórios, white papers, slideshows) – sem cariz comercial direto, mas plenamente identificados com a empresa e que a credibilizam como autoridade no tema
  • Registo em webinars
  • Download de versões teste de produtos
  • Acesso a serviços grátis de consultoria/diagnóstico (que poderão levar depois a mais serviços ou compra de soluções)

Capitalizar o tráfego gerado em leads qualificados

Para ser eficaz e cumprir o seu objetivo, a construção da Landing Page tem de cumprir alguns requisitos e estar plenamente alinhada com o CTA originário para não defraudar expetativas:

  • Layout simples, clean, bem organizado e com visualização imediata do valor da “oferta” e do que é preciso para “resgatá-la”
  • Conteúdo bem escrito, direto, partilhável e verdadeiro
  • Título convincente, descrição clara do que se está a “oferecer”, imagem ilustrativa, bullets que resumem os benefícios e formulário com botão para ativar o acesso (definição dos campos a preencher de acordo com a “oferta” e target, rápido de preencher, itens facultativos e obrigatórios, não ser demasiado extenso ou invasivo – link para política de privacidade)
  • Minimização de elementos que possam levar o visitante para outra página e dispersar a sua atenção
  • Integração com redes sociais para fomentar a partilha, aumentando o alcance da mensagem para quem tem efetivamente interesse (só é partilhada se o visitante considerar valiosa para si e para a sua rede de contactos)
  • Criação de página de agradecimento e envio de email a incentivar novas ações com base na informação recolhida no formulário (qualificar e trabalhar leads até se tornarem clientes – do grande topo à pequena base do funil). Por exemplo, se é uma sociedade de advogados que fez o download de um eBook, no email de agradecimento indicar que existe um relatório que lhe poderá interessar. E mais tarde, convidar a testar o produto específico para este setor. E aí por diante.

Landing Pages com resultados mensuráveis

Ofertas, Call-to-Actions e Landing Pages são fundamentais, mas não se esgotam em si mesmo. É necessário monitorizar, segmentar, testar, avaliar e adaptar continuamente a mensagem e o canal para potenciar os resultados. As principais métricas de avaliação incluem os cliques no Call-to-Action, a taxa de conversão na Landing Page, o número de leads efetivos gerados e, por fim, os clientes conquistados.

Trata-se de um processo que leva o seu tempo e implica uma forte dedicação, mas cujos resultados são indiscutivelmente compensatórios e totalmente mensuráveis.

 

Saiba mais sobre Landing Pages e outros materiais de marketing digital que pode utilizar na sua empresa de TI, neste eBook

 

[Este artigo foi originalmente publicado no blog a 12 de Junho de 2013 e atualizado com novas informações a 20 de Março de 2018]

Deixe uma resposta

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Post comment